Leio, logo existo (21)

domingo, março 15, 2015


"Disse-me que fazer amor é um prazer tão apaixonado como os outros, porque o contexto nos providencia a liberdade e a aceitação para explorarmos os nossos desejos em todas as suas diferentes formas, desesperados e urgentes, ou calmos e ternos. O que importa é que seja um ato de respeito e entrega, não de apropriação e uso."
Sylvain Reynard, O Inferno de Gabriel
Sinopse aqui

3 comentários