Leio, logo existo (48)

quinta-feira, dezembro 17, 2015


"Porque o que vês, se não sabes deverias saber, é apenas o espaço entre o que olhas e o que não observas. (...) Porque és, se não sabes deverias saber, apenas aquilo que não deixaste por ser. (...) Porque estar parado, se não sabes deverias saber, é apenas o instante em que te movimentas para lado nenhum. (...) Porque o tempo, se não sabes deverias saber, apenas se mede em suspiros. Há quanto tempo deste o teu último?"

Pedro Chagas Freitas, Eu Sou Deus
Sinopse aqui

2 comentários