UNIVERSIDADE : O Estágio

terça-feira, fevereiro 27, 2018


Muitos são os cursos universitários (e até antes de lá chegar) que incluem estágios curriculares. Isso não é novidade, todos já ouvimos falar no assunto, mesmo que seja com pouco pormenor, mas nem todos passamos por essa fase. Pessoalmente, só agora, no meu segundo ano de mestrado, é que sei o que é ser estagiária, uma vez que o meu percurso académico até aqui não tinha essa componente. Assim, no início de outubro do ano passado, comecei, finalmente, o meu ano de estágio! E, tal como eu previa, está a ser, para mim, o ano de transição entre a Letícia-aluna e a Letícia-professora, já que estou nos dois lados da moeda em simultâneo.

Apesar de todos termos alguma noção do que pode ser um estágio (uma espécie de preparação para o mundo do trabalho no ramo em que estamos, ou pelo menos deveria ser isso), cada estágio é diferente e cada ramo pode proporcionar experiências diferentes. Muitos de nós temos aquela ideia de "se te esforçares no estágio, os patrões podem gostar de ti e ficas lá a trabalhar"... e sim, isto pode realmente acontecer em muitos casos.

O meu estágio permite-me acompanhar o trabalho de um professor do ensino secundário, tendo a oportunidade de contactar mais de perto com a profissão e com os seus desafios, mas tudo no setor público. Ora, como todos devem saber, os professores do ensino público são contratados através de concursos a nível nacional, e não pelos diretores das escolas, o que significa que o meu estágio não me dá, de todo, passagem facilitada para trabalhar naquela escola, ou em qualquer outra. O máximo que pode acontecer é eu ter uma boa nota no estágio, que se reflete depois na minha média (e mesmo uma boa média não garante nada, pois estamos em desvantagem perante aqueles que têm muitos anos de serviço), ou algum dos professores conhecer alguém de escolas privadas e "dar um toquezinho" - chamem-lhe cunhas, se quiserem, mas nestes casos eu chamo apenas de reconhecimento.

Por isso, no meu estágio, não tenho aquele rebuçado do "emprego certo" no final, por muito que me esforce. No entanto, depois de ter dado duro para ter boa média numa licenciatura que não me serve de rigorosamente nada a não ser como pré-requisito para o mestrado, estou a fazer o mesmo ou ainda mais num estágio onde está tudo por aprender e onde o maior objetivo é deixar a escola marcada. Quero que, nos anos seguintes à minha passagem por cá, todo o corpo docente se recorde "daquela estagiária". Até podem não saber todos o meu nome, mas todos saberão do meu esforço e dedicação para ir além daquilo que era estritamente necessário.

1 comentários

  1. No meu caso, veterinária, tenho colegas que ficaram a trabalhar no sítio onde estagiaram. Infelizmente não foi o meu caso, já que estagiei num zoo e não precisavam de mais ninguém, para grande tristeza minha.
    Um beijinho grande*
    Vinte e Muitos

    ResponderEliminar

Seguidores